Depois de oito anos na Almirante Reis, os irmãos Carlos e Thiago Amorim deram o salto para o Chiado em 2017. Uma casa da família mais arejada que não intimida tanto a clientela menos dada às tatuagens. Chega mesmo a ter pinta de galeria de arte e não é à toa. As paredes brancas e bem iluminadas estão repletas de trabalhos dos artistas da casa (e não só), fora os objectos de colecção e o mobiliário antigo escolhido a dedo. Quanto ao que mais interessa, as próprias das tatuagens, o estilo continua virado para o Oriente, especialmente para o universo das tatuagens japonesas. Não quer dizer que não se façam outras coisas, mas sempre com o cunho artístico dos tatuadores de serviço.