O quotidiano de um estúdio de tatuagem e body-piercing em Lisboa

Por Raquel Leonor Pimenta Baptista

Dissertação submetida como requisito parcial para obtenção do grau deMestre em Antropologia: Imagem e Comunicação

Esta dissertação foca o fenómeno das tatuagens e aborda as questões corporais enquanto peças fundamentais para a criação de uma identidade pessoal e colectiva, ou enquanto sua consequência. É o resultado de um estudo aprofundado sobre as relações sociais no interior de um estúdio de tatuagem e body-piercing em Lisboa – Família Amorim Tattoo –, com o qual decidi colaborar com o intuito de encontrar pistas, a partir do fenómeno da tatuagem, que permitissem construir esta reflexão.

O método utilizado para o levantamento de dados corresponde a uma observação participante que consistiu numa presença diária no estúdio referido, compreendida entre os meses de Novembro a Maio, levando posteriormente à minha colaboração junto dos profissionais no funcionamento da loja.

Neste processo, foram analisadas as razões que motivaram os clientes entrevistados – com os quais tive a possibilidade de conversar ao longo desse período – a fazer voluntariamente uma insígnia como a características que, em contexto ocidental, poderão ser vistas como extremas, principalmente pelo envolvimento de sofrimento físico.

Partindo destes testemunhos, tive por objectivo questionar esses posicionamentos na sociedade, relacionando-os com estruturas e códigos de conduta, com a intenção de dar a conhecer a expressividade da tatuagem nas sociedades contemporâneas ocidentais e finalmente com a forma como o seu simbolismo é percepcionado pela fracção da comunidade urbana lisboeta aqui retratada.